Viseu Arena, Segunda Fase do Projecto

  •  
  • 0
  •  

Trabalhos de restauro e renovação ao Multiusos de Viseu arrancam em breve. Conhece os novos detalhes e vê o vídeo de apresentação.

O Viseu Arena, que resulta da reabilitação do Pavilhão Multiusos de Viseu e que pretende ser a maior sala de espectáculos do centro de Portugal, está cada vez mais perto de se tornar uma realidade. O programa funcional e o projecto de upgrade técnico e de restyling do equipamento estão concluídos, avançando agora os projectos de “especialidade”. O concurso público para execução das obras deverá ter lugar no 4º trimestre de 2017 e o investimento estimado situa-se entre os 2,5 e os 3 milhões de euros.

A Arena em Viseu vai:

1. Ter uma capacidade superior a 5500 espectadores (aumento de 83% da sua lotação, em relação ao Multiusos) e uma arena de 2500 metros quadrados, e face às estimativas iniciais, a capacidade da sala para uma plateia em pé aumenta mais de 1500 lugares;

2. Incorporar ecrãs e uma cortina de luz na fachada do equipamento;

3. Criar novas zonas de público (uma tribuna suspensa, 14 camarotes e 680 premium seats);

4. Instalar cinco bares e um lounge panorâmico para a cidade com vocação para catering e eventos premium.

5. Revestir a Nave com material acústico e, numa zona superior, de madeira, introduzindo melhor performance sonora e estética

6. Alagar o cais de cargas e descargas

«Este é um investimento-âncora para Viseu e para a descentralização cultural e turística nacional» – Afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, destacando ainda «as garantias de sustentabilidade do futuro equipamento, asseguradas pela lotação alcançada, sem paralelo na região, e a flexibilidade do espaço para acolher qualquer tipo de realização.»

São parceiros institucionais a Arena Atlântico – sociedade gestora do MEO Arena (com a alocação do arquitecto Moisés Rosa) – e a VISEU MARCA. O projecto tem o objectivo de colocar Viseu no mapa nacional e ibérico da oferta de espectáculos, reforçar a dinamita local e a descentralização cultural nacional e incrementar a atractividade turística de Viseu no Centro-Norte de Portugal e nos respectivos eixos ibéricos, tal como gerar oportunidades de desenvolvimento de competências empresariais e técnicas locais ligadas às industrias criativas, culturais e turísticas.

Ficha técnica

10/08/2017 António Mauricio

Array
(
    [post_type] => Array
        (
            [0] => hot_gear
            [1] => breve
            [2] => featured
        )

    [posts_per_page] => 3
    [post__not_in] => Array
        (
            [0] => 69204
        )

    [orderby] => rand
    [tag__in] => Array
        (
            [0] => 18463 
            [1] => 18462 
            [2] => 18461 
            [3] => 11296 
            [4] => 16332 
            [5] => 16330 
        )

)
  IR PARA O TOPO